Afinal quem manda, o ALCAÍDE ou subordinados?

Por conseguinte, esse título descreve as vezes as referências de cada poder subsequente que nele rege.

Mas deparamos com uma realidade totalmente desprovida de tamanha falta de pulso e coordenação nos detentores dos cargos públicos.

Situações degradantes, vendas de cargos, acertos em concursos públicos, poder a quem pisoteia na cabeça do povo e principalmente em quem atravessa o caminho que pode secar a teta.

Mas não vamos discriminar a maioria, porque sempre tem aquele que quer realmente fazer com que o seu município seja pujante, promissor e acima de tudo próspero com geração de emprego e renda para que seus munícipes não abandonem sua cidade de origem para dar prosperidade com seu talento e trabalho em outros cantos do nosso Estado ou País, que deem sua contribuição para seu município não ficar estagnado e parado no tempo, sem futuro próspero.

Estamos aí em passos largos para mais uma eleição a nível estadual e federal, mas parece que o povo se esquece facilmente de quem elegeu, e o que fizeram para representa-los. Com seus salários polpudos e gastando a rodo, e usufruindo de mordomias como se fossem reis das arábias.

Como os tapinhas nas costas, risadinhas e pegada de criancinhas no colo não é motivo de condenação de efeito colateral, ou um encontro regado a cerveja, refrigerante, pão e linguicinha não se baseia estritamente na compra de voto – vamos colocar uma música e dar aquela sambada no pé.

Voltando ao poder público, você se torna refém de barganhas quando se têm um governo fraco, onipotente, onde empresários que as vezes no passado eram apenas mais um no campo político pedindo voto, depois se torna o todo poderoso com bala na agulha para rasgar a nota da “garopa” como se fosse um real. E o “ALCAÍDE” em vez de usar o seu poder que o povo lhe deu para defender os interesses dos munícipes e da cidade, entrega com um canetaço valores a esses “mequetrefes” inescrupulosos que não medem esforços para prejudicar e até “matar” se for o caso para que não estraguem o esquema da corrupção.

Assim vai levando o “ALCAÍDE”, que talvez queira fazer algo, mas como tem o seu “RABO” preso por consequências aceitatórias, apenas assiste de camarote e assina “vem a nós a vosso reino”.

Prejudica o povo, família, amigos e correligionários por pensar pequeno e que se fosse humanitário pensaria que seria bem melhor aplicado naquilo que se prometeu a fazer em campanha.

Mas como diz o ditado você é só o “ALCAÍDE”, mas quem manda são seus subordinados.

Notícias recentes

Compartilhar